Notícias de dispositivos móveis, gadgets, aplicativos Android

A segurança de código aberto pode impedir ataques de dia zero?

Uma vulnerabilidade de dia zero (ou dia zero) é um risco de segurança de software que não é conhecido pelo fornecedor ou usuário do software. Um ataque de dia zero é uma tentativa de um invasor de obter acesso a um sistema vulnerável. Esta é uma séria ameaça à segurança e tem uma alta taxa de sucesso porque as empresas normalmente não possuem medidas defensivas para detectá-la ou bloqueá-la.

Um ataque de dia zero ocorre antes que o alvo esteja ciente da vulnerabilidade. Quando os invasores tomam conhecimento da vulnerabilidade, eles lan√ßam explora√ß√Ķes antes que os desenvolvedores ou fornecedores criem patches para corrigir as vulnerabilidades.

Por que a segurança de código aberto é importante?

Segurança de código aberto refere-se às medidas e práticas de segurança implementadas para proteger o software de código aberto.

Quando uma vulnerabilidade de c√≥digo aberto √© descoberta, ela se torna um alvo atraente para ser explorada por invasores. Detalhes sobre essas vulnerabilidades de c√≥digo aberto e como explor√°-las s√£o frequentemente tornados p√ļblicos. Isso fornece aos hackers todas as informa√ß√Ķes necess√°rias para conduzir um ataque. Quando voc√™ combina isso com o uso generalizado de software de c√≥digo aberto, n√£o √© dif√≠cil imaginar o caos que pode surgir quando uma vulnerabilidade de c√≥digo aberto √© descoberta.

Um dos principais desafios que as organiza√ß√Ķes enfrentam ao lidar com vulnerabilidades de c√≥digo aberto √© que rastrear e resolver vulnerabilidades n√£o √© algo trivial. Essas explora√ß√Ķes de c√≥digo aberto podem ser publicadas em diversas plataformas e s√£o dif√≠ceis de rastrear. Al√©m disso, encontrar uma vers√£o atualizada, patch ou corre√ß√£o para resolver um risco de seguran√ßa √© um processo demorado e caro.

Depois que as vulnerabilidades de c√≥digo aberto e seus vetores de explora√ß√£o se tornarem p√ļblicos, ser√° apenas uma quest√£o de tempo at√© que os invasores possam explor√°-los para penetrar nas organiza√ß√Ķes. As empresas precisam integrar diversas ferramentas e processos para resolver rapidamente as vulnerabilidades do c√≥digo aberto.

Pilares da segurança de código aberto

Análise de composição de software

A Análise de Configuração de Software (SCA) é um processo automatizado para identificar software de código aberto em uma base de código. Ele avalia problemas de segurança, conformidade de licenciamento e qualidade de código.

N√≥s recomendamos:  Cuidado!! Novo malware de Cryptojacking atacando servidores Apache, Oracle e Redis

As ferramentas SCA inspecionam gerenciadores de pacotes, arquivos de manifesto, código-fonte, binários, imagens de contêiner e muito mais. Os componentes de código aberto identificados são compilados em uma Lista de Materiais (BOM) e comparados com vários bancos de dados, como o Banco de Dados Nacional de Vulnerabilidade (NVD).

As ferramentas SCA comparam a lista t√©cnica com outros bancos de dados para detectar licen√ßas no c√≥digo e analisar a qualidade geral do c√≥digo (controle de vers√£o, hist√≥rico de contribui√ß√Ķes, etc.). Ele tamb√©m pode comparar BOMs com bancos de dados de vulnerabilidades, para que as equipes de seguran√ßa possam identificar e corrigir rapidamente vulnerabilidades cr√≠ticas de seguran√ßa.

O principal valor do SCA reside na sua automação. Rastrear manualmente o código-fonte aberto não é viável em projetos de software modernos, que podem ter milhares de componentes. A crescente popularidade das arquiteturas nativas da nuvem e de microsserviços, bem como a complexidade dos aplicativos, exigem ferramentas SCA poderosas e confiáveis.

Como pode ajudar com ataques de dia zero:

A an√°lise de composi√ß√£o de software (SCA) pode ajudar as organiza√ß√Ķes a identificar e mitigar o risco de ataques de dia zero, fornecendo visibilidade das bibliotecas e componentes de software de terceiros usados ‚Äč‚Äčem seus aplicativos. Ao realizar verifica√ß√Ķes SCA regulares, as organiza√ß√Ķes podem identificar quaisquer vulnerabilidades conhecidas nesses componentes e tomar medidas para resolv√™-las, como aplicar patches ou atualiza√ß√Ķes ou substituir o componente vulner√°vel por uma alternativa mais segura.

Al√©m de identificar vulnerabilidades conhecidas, o SCA tamb√©m pode ajudar as organiza√ß√Ķes a identificar potenciais vulnerabilidades de dia zero, fornecendo informa√ß√Ķes sobre detalhes dos componentes de terceiros em uso. Isto pode ajudar as organiza√ß√Ķes a tomar decis√Ķes informadas sobre o risco associado √† utiliza√ß√£o destes componentes e a tomar medidas adequadas para mitigar esse risco.

An√°lise Forense Digital e Resposta a Incidentes (DFIR)

Análise forense digital e resposta a incidentes (DFIR) referem-se aos processos e técnicas utilizados para identificar, investigar e responder a incidentes e ataques de segurança cibernética:

  • Forense digital envolve a coleta, an√°lise e apresenta√ß√£o de evid√™ncias digitais para uso em um tribunal ou outros procedimentos legais.
  • Resposta a incidentes envolve a identifica√ß√£o e resolu√ß√£o de um incidente de seguran√ßa, como uma viola√ß√£o de dados ou ataque de ransomware, e pode incluir etapas como isolar sistemas afetados, identificar a causa do incidente e tomar medidas para evitar que incidentes semelhantes ocorram no futuro.
N√≥s recomendamos:  Como baixar Instagram v√≠deos em dispositivos Android e iOS?

Os profissionais do DFIR utilizam uma variedade de ferramentas e técnicas para coletar e analisar evidências digitais, incluindo software forense, ferramentas de análise de rede e ferramentas de recuperação de dados. Eles também podem usar conhecimento especializado e experiência em áreas como redes de computadores, criptografia e armazenamento de dados para identificar e compreender a natureza e o escopo de um incidente de segurança.

O DFIR √© um aspecto cr√≠tico da seguran√ßa cibern√©tica, pois permite que as organiza√ß√Ķes identifiquem e respondam a incidentes de seguran√ßa de maneira oportuna e eficaz. Ao ter um plano para responder a incidentes de seguran√ßa e ter profissionais treinados que possam realizar an√°lises forenses e resposta a incidentes, as organiza√ß√Ķes podem minimizar o impacto de um incidente de seguran√ßa e reduzir o risco de ataques futuros.

Como pode ajudar com ataques de dia zero: A análise forense digital e a resposta a incidentes (DFIR) podem desempenhar um papel na resposta a ataques de dia zero. Os profissionais do DFIR podem identificar a causa do ataque e entender como os invasores obtiveram acesso ao sistema. Isto pode ajudar a informar os esforços de resposta e recuperação e prevenir a ocorrência de ataques semelhantes no futuro.

Gerenciamento de vulnerabilidades

O gerenciamento de vulnerabilidades é um processo contínuo de descoberta, priorização e mitigação de vulnerabilidades em seu ambiente de TI. As ferramentas de gerenciamento de vulnerabilidades variam em força e conjunto de recursos, mas a maioria inclui:

  • Descoberta: O processo de identifica√ß√£o e classifica√ß√£o de todos os ativos em um ambiente de rede e armazenamento de suas propriedades em um banco de dados. Esta etapa tamb√©m inclui a descoberta de vulnerabilidades relacionadas a esses ativos.
  • Prioriza√ß√£o: O processo de priorizar vulnerabilidades e riscos de ativos conhecidos. As vulnerabilidades recebem n√≠veis de gravidade para ajudar a identificar as vulnerabilidades mais importantes.
  • Remedia√ß√£o e mitiga√ß√£o: O sistema fornece links para informa√ß√Ķes sobre cada vulnerabilidade detectada. Isso inclui a√ß√Ķes corretivas e recomenda√ß√Ķes de patches do fornecedor, quando aplic√°vel. A maioria das solu√ß√Ķes fornece links para recursos de terceiros, como o banco de dados Common Vulnerabilities and Exposures (CVE) da MITRE Corporation, o Common Vulnerability Scoring System (CVS) e o SANS/FBI Top 20.
N√≥s recomendamos:  O que as cores do seu curr√≠culo dizem sobre voc√™?

As organiza√ß√Ķes devem abordar primeiro as vulnerabilidades mais graves e depois as vulnerabilidades menos graves, conforme o tempo e os recursos permitirem. Certas vulnerabilidades podem n√£o representar uma amea√ßa significativa para uma organiza√ß√£o e podem ser aceit√°veis, porque o risco √© inferior ao custo da remedia√ß√£o.

Como pode ajudar com ataques de dia zero: O gerenciamento de vulnerabilidades pode ajudar as organiza√ß√Ķes a mitigar o risco de ataques de dia zero, identificando e abordando vulnerabilidades em seus sistemas e aplica√ß√Ķes antes que possam ser exploradas. Ao verificar regularmente vulnerabilidades e implementar medidas de remedia√ß√£o adequadas, as organiza√ß√Ķes podem reduzir o risco de ataques cibern√©ticos e proteger os seus sistemas, dados e utilizadores.

Conclus√£o

Os ataques de dia zero são uma ameaça significativa à segurança dos sistemas e redes informáticas, uma vez que tiram partido de vulnerabilidades anteriormente desconhecidas que ainda não foram corrigidas ou corrigidas. O software de código aberto, que está disponível gratuitamente e normalmente é desenvolvido e mantido através de um processo colaborativo e conduzido pela comunidade, pode ser vulnerável a ataques de dia zero se as vulnerabilidades não forem identificadas e abordadas em tempo hábil.

Para se protegerem contra ataques de dia zero, √© importante que as organiza√ß√Ķes implementem medidas de seguran√ßa fortes, como firewalls e sistemas de dete√ß√£o de intrus√Ķes, e mantenham o software e os sistemas de seguran√ßa atualizados. Tamb√©m √© importante ter um plano para responder e recuperar de um incidente de seguran√ßa e ter profissionais treinados que possam realizar an√°lises forenses e resposta a incidentes.