Boeing 737: as causas do acidente no Irã

Boeing 737 Max: a causa dos dois acidentes que mataram mais de 300 pessoas

Parece que o Boeing 737 que caiu no chão na manhã de Quarta-feira 8 Janeiro 2020 foi atingido por dois mísseis involuntários após a decolagem. O voo PS752 da Ukrain International Airlines carregando 176 pessoas de Teerã no Irã para Kiev. Infelizmente, nenhum sobrevivente foi encontrado.

O Irã quer mediar

No momento, no entanto, não há feedback positivo ou novas informações. Por um lado O Irã continua a negar responsabilidade pelo que aconteceu, enquanto, por outro lado, ele quer trabalhar juntos para resolver o mistério. O país diz que as informações das caixas pretas podem chegar em um mês ou dois. Enquanto isso, exige a colaboração de vários estados (Canadá, França, Rússia e Ucrânia) para concluir a investigação.

De uma primeira leitura dos dados relativos ao vôo da tragédia, não surgem problemas específicos de motores, como diz o Irã. A este respeito, a Rússia reitera a posição segundo a qual o 737-800 da Boeing foi abatido por dois mísseis Tor-M1 (entre outras coisas de origem russa) das forças armadas iranianas. A posição do Canadá é diferente. Primeiro Ministro Justin Trudeau afirma ter evidência de que a aeronave foi atingida (acidentalmente) míssil terra-ar. A mesma opinião é Donald Trump que, apesar de se declarar pronto para uma nova ofensiva, admite que poderia ter sido um erro dos inimigos, e não um gesto intencional.

Uma guerra próxima?

O presidente dos EUA, em seu primeiro discurso realizado em 9 Janeiro, ele disse à imprensa o que aconteceu no último dia do ano acabou de passar. Depois de um ataque do Irã às bases americanas no Iraque, Trunfo ele gostaria de responder com uma represália à guerra, mas, de acordo com o Congresso que interrompeu seu início, ele poderia ter iniciado uma nova guerra planetária. Assim, o magnata optou por assassinato direcionado a General Soleimani.