Notícias de dispositivos móveis, gadgets, aplicativos Android

O que aprendi em 10 anos de marketing de conteúdo

Por mais que gostemos de pensar no marketing de conteúdo como um conceito novo e arrojado, ele não é. Considerar os livros de receitas de gelatina do início de 1900 e a revista “The Furrow” da John Deere para educar os agricultores, que remonta ao final de 1800. As empresas há muito entendem a importância de educar e envolver as comunidades que servem como uma forma eficaz de marketing para elas.

Apesar de décadas de precedentes, os profissionais de marketing de conteúdo de hoje muitas vezes sentem como se estivessem jogando dardos no escuro quando se trata de criar valor comercial por meio de iniciativas como blogs, webinars, e-books e infográficos. Em um recente Relatório de pesquisa da Forrestera grande maioria dos líderes de marketing entrevistados admitiu que seus esforços de marketing de conteúdo foram apenas até certo ponto eficazes na criação de valor comercial real.

Por esse motivo, muitas empresas consideram o conteúdo experimental e, como resultado, os administradores de programas estão lutando para encontrar os recursos necessários para executar uma estratégia bem-sucedida. É claro que a melhor maneira de aprender é através das experiências – e experimentos – de outras pessoas. Então, aqui estão cinco lições aprendidas em meus 10 anos de marketing de conteúdo.

1. Resista à tentação de criar conteúdo ‘barato’

A capacidade de atenção do público é escassa. A maioria das pessoas em nosso público-alvo está sobrecarregada de informações, o que significa que são extremamente seletivas quanto ao conteúdo que optam por consumir. Como resultado, eles examinam cada artigo, infográfico e guia com base em um nível percebido de qualidade e valor.

Nós recomendamos:  Google Maps anuncia novos recursos contra conteúdo falso

Por mais tentador que seja “blogar por blogar” – não faça isso. Poucos irão ler e, se o fizerem, poderá criar uma percepção negativa da sua marca. As equipes com orçamento limitado deveriam, em vez disso, concentrar-se na produção de menos peças de maior qualidade.

2. Contexto é tudo

Os profissionais de marketing devem entender quem são seus públicos-alvo e o que procuram aprender. Você também precisa considerar em quais tópicos você tem experiência confiável. Com tudo isso em mente, você terá uma construção adequada para uma estratégia de marketing de conteúdo.

Depois de saber o que deseja comunicar, você precisa saber quando comunicá-lo. Afinal, o tempo é tudo. É melhor entregar conteúdo relevante em tempo real com base no momento em que o público-alvo seria mais receptivo. Por exemplo, apresentar um guia para selecionar uma churrasqueira externa faz sentido se você sabe que um comprador está em seu site pesquisando churrasqueiras, mas não seria apropriado compartilhá-lo depois de concluir a compra. Melhor enviar dicas e truques para grelhar nesse momento.

3. Cross-Channel é uma necessidade

O conteúdo capacita as marcas a se tornarem centros de informação. Mas com a diminuição da capacidade de atenção, os profissionais de marketing enfrentam o desafio de levar essas informações aos seus públicos-alvo. É por isso que as abordagens cross-channel para marketing de conteúdo são tão importantes.

O público digital absorve informações de diversas maneiras e muitas vezes precisa de reforço por meio de múltiplos toques. Os programas de marketing de conteúdo de maior sucesso integram-se a outros métodos de aquisição e comunicação de clientes, como e-mail, publicidade paga, distribuição de conteúdo e relações públicas. E, claro, o seu site – juntamente com técnicas como SEO, otimização da taxa de conversão (CRO) e personalização da Web – é provavelmente o canal mais importante. Mesmo com o melhor conteúdo do mundo, você precisará de vários caminhos para alcançar e envolver efetivamente seu mercado-alvo.

Nós recomendamos:  Instagram Os presentes permitirão que você dê gorjeta aos criadores de conteúdo

4. Estabeleça metas com antecedência

O marketing de conteúdo é um conceito amplo que abrange muitas atividades diferentes. É por isso que os profissionais de marketing precisam ter um plano. A decisão de “simplesmente começar a blogar”, por exemplo, pode facilmente se transformar em perda de tempo e dinheiro.

Descreva seus objetivos antes de lançar qualquer iniciativa de marketing de conteúdo. Os exemplos incluem maior visibilidade de pesquisa, maior retenção de clientes, melhor geração de leads e até mesmo maior envolvimento na mídia social. Descubra as maiores áreas de oportunidade para o seu negócio e como o conteúdo se encaixa. Estabeleça metas a partir daí e, claro, acompanhe seu progresso.

5. Capacite suas equipes

Como o marketing de conteúdo é frequentemente considerado experimental, as equipes podem se sentir pressionadas para evitar o fracasso e demonstrar ganhos rápidos. Embora esta ambição seja boa, pode criar restrições ou comportamentos desnecessários que sabotam o sucesso a longo prazo. Por exemplo, “linkbait” pode gerar tráfego significativo sem facilitar conversões ou vendas.

Os CMOs devem capacitar suas equipes com espaço para aprender, experimentar e falhar. Eles precisam priorizar ganhos sustentáveis ​​e de longo prazo, como melhor educação do cliente e qualidade de leads, em detrimento de ganhos de curto prazo, como picos temporários de tráfego e downloads.

Pensamentos finais

O conteúdo é a ferramenta de marketing definitiva. A cada postagem no blog, estudo de caso e infográfico que publicamos, aprendemos cada vez mais sobre nossos clientes e mercado-alvo. É fundamental reinvestirmos esse conhecimento em nossas estratégias de conteúdo — para que possamos aprender e melhorar continuamente. Este ciclo é crucial para o crescimento, a retenção e um programa de marketing duradouro.

Nós recomendamos:  O marketing baseado em contas tornou obsoletos os representantes de desenvolvimento de vendas?

Imagem do título da biblioteca de fotos DFAT