O tribunal deixou a T-Mobile comprar a Sprint porque a Sprint é uma merda

O tribunal deixou a T-Mobile comprar a Sprint porque a Sprint é uma merda 1

Após um longo julgamento, um tribunal federal decidiu a favor da fusão da T-Mobile e da Sprint ontem, juntamente com um esquema complicado de transformar a Dish Network na quarta operadora de telefonia móvel nacional ao longo de vários anos.

A decis√£o n√£o √© necessariamente surpreendente: embora o escrut√≠nio antitruste de grandes plataformas de tecnologia como Google e Facebook est√° esquentando, fus√Ķes gigantes de telecomunica√ß√Ķes ainda est√£o acontecendo. Mas a decis√£o em si √© extremamente surpreendente: o juiz Victor Marrero, do Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Sul de Nova York, basicamente decidiu que os v√°rios dados e especialistas apresentados pela 10 advogados do estado que processaram para interromper a fus√£o n√£o valiam a pena levar a s√©rio e que ele decidiria se a T-Mobile e a Dish pareciam ser empresas legais que mereciam confiar.

E … acontece que o juiz Marrero acha que o CEO John Legere e o restante dos executivos da T-Mobile s√£o extremamente legal e inteligente e que a Dish Network √© definitivamente confi√°vel e que tudo vai dar certo.

Além disso, o juiz acha que Sprint é péssimo. Realmente, se há uma grande vantagem aqui, é que Victor Marrero, um juiz federal selecionado por Bill Clinton para um mandato vitalício no judiciário federal, acha que a Sprint é uma má companhia com uma rede de merda administrada por manequins. Esta é a lei agora.

Vamos passar pela decis√£o. Voc√™ pode fazer o download da vers√£o original em PDF aqui, mas criamos uma vers√£o de texto pesquis√°vel mais confusa porque o juiz Marrero achou que a decis√£o certa de 173 p√°ginas na forma de imagens digitalizadas era a decis√£o certa. Ser√£o muitas cita√ß√Ķes em bloco longas; Coloquei em negrito as partes importantes para enfatizar. Al√©m disso, o tribunal se refere √†s transportadoras como “a ind√ļstria RMWTS”. Eu substitu√≠ isso por [wireless] para facilitar a leitura.

INTRODUÇÃO

Vale a pena chamar a introdu√ß√£o do juiz Marrero para tudo isso porque √© … extremamente emo.

O julgamento de disputas antitruste praticamente transforma o juiz em um vidente. A decis√£o de tais casos normalmente exige uma leitura judicial do futuro.

Quem deve dizer o que o futuro reserva? Devemos conversar com especialistas e decidir quem est√° apresentando um argumento mais cred√≠vel com base em dados e modelagem econ√īmica?

Consequentemente, os modelos de neg√≥cios dispendiosos e conflitantes de engenharia, econ√īmicos e acad√™micos das partes, juntamente com as vis√Ķes incompat√≠veis do futuro competitivo, as previs√Ķes cinzentas de seus especialistas retratam, essencialmente se cancelam como prova √ļtil, o Tribunal poderia apoiar confortavelmente como afirmando decididamente um lado e n√£o o outro.

Acho que não. Ei, você já viu um juiz federal escrever uma mensagem de status do AIM no primeiro ano?

Como o futuro se manifesta e realiza o que ele det√©m √© um fen√īmeno multifacetado que n√£o √© necessariamente guiado por for√ßas te√≥ricas ou modelos matem√°ticos.

OK. Olha, essa √© uma fus√£o de telecomunica√ß√Ķes multibilion√°ria muito s√©ria. Portanto, antes de entrarmos nisso, precisaremos falar sobre o qu√£o importante √© para o juiz ignorar a parte dif√≠cil e seguir seus instintos para: Olhe para uma bola de cristal.

Confrontado com esses desafios, os tribunais que atuam como investigadores de fatos geralmente recorrem aos m√©todos e orienta√ß√Ķes judiciais tradicionais, mais apropriadamente adequados para a tarefa. Especificamente, eles recorrem √† sua pr√≥pria vers√£o experimentada e testada de espiar uma bola de cristal.eles aplicam as pr√≥prias habilidades e a experi√™ncia da linha de frente do juiz na pondera√ß√£o, previs√£o e julgamento de relatos complexos e frequentemente conflitantes da conduta humana, aquelas a√ß√Ķes e ina√ß√Ķes extra√≠das da evid√™ncia factual.

Ao executar essa fun√ß√£o, os tribunais empregam v√°rias medidas comportamentais que mesmo o estudo t√©cnico mais exaustivo e autorit√°rio n√£o conseguiu capturar ou avaliar adequadamente como um progn√≥stico confi√°vel de prov√°veis ‚Äč‚Äčeventos acionados fundamentalmente por decis√Ķes de neg√≥cios tomadas por v√°rias fontes ativas: concorrentes relevantes do mercado, outros participantes do mercado, √≥rg√£os p√ļblicos e at√© consumidores.

De fato, diante do desafio de examinar dados econ√īmicos, hist√≥rico de mercado e testemunho de especialistas, o juiz Marrero decidiu se aprofundar no assunto e realmente apenas olhar para o cora√ß√£o de todos. E ele realmente quer que voc√™ saiba que foi isso que ele fez.

Durante o julgamento de duas semanas desta ação, o Tribunal teve ampla ocasião para observar as testemunhas e avaliar sua credibilidade e comportamento no banco das testemunhas, e considerar o peso que seu testemunho justificava à luz dos indicadores mencionados aqui e articulados abaixo.

Tudo bem, ent√£o o juiz Marrero est√° apenas enlouquecendo. Vamos ver se ele se apaixona por algum absurdo sobre 5G.

Embora o impacto total do 5G continue sendo visto, ele promete aumentos significativos nas velocidades dispon√≠veis para os consumidores, menor consumo de baterias de dispositivos m√≥veise lat√™ncia reduzida ou o tempo necess√°rio para que um dispositivo m√≥vel e uma rede m√≥vel se comuniquem. O 5G provavelmente permitir√° que os consumidores usem aplicativos de realidade aumentada (“AR”) ou realidade virtual (“VR”) e transmitam v√≠deo com uma qualidade de imagem significativamente mais alta, conhecida como 4K.

Oh garoto.

Como esse processo leva tempo, especialistas proeminentes na [wireless] A ind√ļstria expressou preocupa√ß√£o de que outros pa√≠ses como China ou Cor√©ia do Sul possam implementar totalmente o 5G primeiro e dominar o mercado de aplicativos inovadores viabilizados atrav√©s do 5G.

Lamentamos informar que Nilay Patel morreu de vergonha causada pela retórica de corrida para 5G. O restante desta peça será dirigido por seu fantasma.

AT&T E VERIZON

Depois de toda essa configura√ß√£o, o juiz Marrero passa a discutir o estado atual da ind√ļstria sem fio nos EUA, come√ßando pelas duas grandes operadoras.

As representa√ß√Ķes de ambos os lados e as evid√™ncias desenvolvidas no julgamento sugerem que, embora a Verizon e a AT&T tenham redes de alta qualidade, nem [carrier] distingue-se pela inova√ß√£o de servi√ßos ben√©ficos para o consumidor, como planos de dados ilimitados ou o pacote de servi√ßos como o Netflix com seus servi√ßos sem fio m√≥veis.

Oi. Algumas notas aqui: a Verizon e a AT&T oferecem planos de dados ilimitados. A Verizon está juntando o Disney Plus e a AT&T comprou uma pequena empresa chamada Time Warner e está transformando a HBO em algum tipo de serviço de streaming voltado para adolescentes, com uma interface que se parece com o Snapchat.

Na medida em que a Verizon e a AT&T implementaram medidas como essas, essas mudan√ßas foram freq√ľentemente rea√ß√Ķes a inova√ß√Ķes feitas pela primeira vez pela T-Mobile ou Sprint.

Esse “ou Sprint” √© realmente muito importante, por acaso. Isso implica que a Sprint era concorrente da AT&T e da Verizon. Mais concorrentes geralmente s√£o bons. Mas o juiz Marrero est√° muito mais interessado no fato de a T-Mobile ser administrada por John Legere. E o juiz Marrero acha que John Legere √© o melhor.

O sucesso da T-Mobile pode ser atribu√≠do em parte significativa √† negocia√ß√£o de uma ‚Äútaxa de interrup√ß√£o‚ÄĚ que receberia se a AT&T n√£o a adquirisse durante uma fus√£o proposta em 2011. Como os desafios regulat√≥rios impediram a AT&T de concluir a fus√£o, a T-Mobile adquiriu aproximadamente $3 bilh√Ķes em dinheiro, US $3 bilh√Ķes de espectros e um contrato de roaming que permitia aos clientes da T-Mobile usar a rede da AT&T em √°reas que a rede da T-Mobile n√£o alcan√ßava na √©poca.

Mais ou menos na mesma √©poca, em 2012, a T-Mobile contratou uma nova equipe executiva liderada pelo atual CEO John Legere e pelo atual Michael Sievert. Essa nova equipe de lideran√ßa instituiu uma estrat√©gia e uma cultura inovadoras, conhecidas como “Transportadoras”. Sob essa estrat√©gia, a T-Mobile identificaria caracter√≠sticas do [wireless industry] relacionamento entre operadoras e consumidores de que os consumidores n√£o gostaram e depois remover esses recursos de suas ofertas para se diferenciar das outras principais operadoras, como AT&T e Verizon.

Portanto, a T-Mobile n√£o se fundiu com a AT&T, conseguiu uma infus√£o de dinheiro e espectro e contratou um novo gerenciamento para competir com mais efici√™ncia, resultando em melhores ofertas para os consumidores de todas as principais operadoras. Parece que a Sprint provavelmente poderia tentar uma abordagem semelhante – especialmente porque √© de propriedade do SoftBank, que … n√£o tem vergonha de gastar dinheiro, para dizer o m√≠nimo.

SPRINT: SUGA OU SUGA MAIS? CONCLUS√ÉO JUR√ćDICA

Há apenas um problema com a ideia de que a Sprint pode mudar as coisas por conta própria, de acordo com o juiz Marrero: ele acha que a Sprint é péssima. Quero dizer, cara, realmente, realmente acha que Sprint é ruim. Essa coisa toda já é muito longa e eu tive que cortar alguns dos afundamentos aleatórios da Sprint que apimentam essa opinião, porque havia muitos para caber. E esses são cortes profundos Рquero dizer, aqui está um truque para escolher o WiMAX sobre o LTE. WiMAX!

Em parte devido a v√°rias op√ß√Ķes tecnol√≥gicas question√°veis, A rede da Sprint √© mais pobre em qualidade do que a de seus concorrentes e sua imagem de marca √© correspondentemente ruim. A Sprint tamb√©m teve dificuldades financeiras, falhando em obter lucro l√≠quido por onze anos consecutivos at√© 2017.

Ei, juiz Marrero: o que você acha da rede da Sprint?

A Sprint tem se esforçado para reter os clientes que inicialmente atraía com suas ofertas agressivas, devido em grande parte à baixa qualidade da rede.

Hum, você pode adicionar a isso?

A rede m√≥vel sem fio √© a base dos servi√ßos de telecomunica√ß√Ķes sem fio m√≥veis, e as ofertas de produtos e redes da Sprint s√£o distinguidas h√° anos por baixa qualidade operacional e percep√ß√£o negativa do cliente.

Entendi. Deseja mergulhar no WiMAX novamente?

Nos √ļltimos 15 anos, a Sprint tomou v√°rias decis√Ķes tecnol√≥gicas e de neg√≥cios mal aconselhadas, o que resultou em uma rede cronicamente subdesenvolvida, inconveniente para os consumidores.

E vamos derramar um pouco de sal naquela ferida de Nextel, vamos?

A Sprint também não obteve benefícios tecnológicos e financeiros previstos com a fusão com a concorrente de mercado Nextel, que atrasou ainda mais suas tentativas de construir uma rede forte.

E o que você acha dos esforços do ex-CEO da Sprint, Marcelo Claure, para consertar as coisas antes de ele deixar a WeWork?

Claure prop√īs um plano n√£o tradicional, menos caro, para aumentar a cobertura da rede da Sprint a um custo m√≠nimo, implantando in√ļmeras pequenas c√©lulas penduradas em postes de servi√ßos p√ļblicos e alternativas de baixo custo √†s torres de celular chamadas monop√≥los. Este plano falhou maci√ßamente; Sprint instalado apenas 2, 000 de suas 75.000 pequenas c√©lulas projetadas e apenas uma de suas 35.000 monop√≥los projetadas, que tamb√©m foram removidas em pouco tempo.

Além disso, a oferta pela metade da Sprint foi projetada para aumentar de preço após um ou dois anos, e muitos clientes inicialmente atraídos pela oferta mudaram de operadora logo após perceberem que teriam que pagar preços mais altos por uma rede de qualidade inferior.

Não posso enfatizar o suficiente o quanto o juiz Marrero acha que Sprint é péssimo. Até seus elogios são qualificados pelo fato de que a Sprint é péssima.

As ofertas da Sprint merecem consideração por sua postura pró-consumidor. Mas, retrospectivamente, eles refletem um esforço desesperado e, finalmente, malsucedido para permanecer relevante em vez de uma estratégia comercial sustentável de longo prazo.

Se a capacidade da Sprint de alcançar brevemente a lucratividade merece algum reconhecimento, a empresa está, na melhor das hipóteses, lutando até para pisar enquanto seus concorrentes continuam a aumentar as receitas que lhes permitirão acompanhar a corrida para as redes sem fio da próxima geração.

No final, diz o juiz Marrero, ele está convencido de que a Sprint é péssima.

Portanto, o Tribunal está substancialmente convencido de que a Sprint não possui uma estratégia competitiva sustentável de longo prazo e deixará de ser uma empresa verdadeiramente nacional. [wireless carrier].

REDE DE PRATO: DEFINITIVAMENTE CONSTRUINDO UMA REDE, PENSAMOS

Grande parte do argumento para a fusão é que o Departamento de Justiça intermediou um acordo pelo qual a Dish Network assumirá o controle da Boost Wireless da Sprint junto com algum espectro e, em seguida, usará esses ativos juntamente com seu estoque atual de espectro para construir um novo Rede 5G. Enquanto estiver fazendo isso, terá acesso à rede da T-Mobile para poder começar a inscrever clientes imediatamente.

Este √© um plano complicado, e um dos argumentos no caso foi que Dish n√£o iria realmente cumpri-lo. √Č muito mais barato acumular o espectro e vend√™-lo em um pr√™mio para um dos maiores players posteriormente. Mas o juiz Marrero examinou as ~ vibra√ß√Ķes ~ do presidente da Dish, Charlie Ergen, e decidiu jogar os dados no velho independente.

O hist√≥rico da DISH e in√ļmeros pr√™mios por inova√ß√£o e experi√™ncia do cliente, al√©m de evid√™ncias das parcerias estrat√©gicas atualmente confidenciais e criativas que a DISH est√° planejando, sugerem que DISH competiria como um “dissidente” disruptivo no [wireless] Mercados, oferecendo pre√ßos baixos por servi√ßos inovadores e de alta qualidade.

Mas e se a Dish não cumprir suas promessas ou a T-Mobile fizer alguns truques obscuros para limitar o acesso à sua rede? Não se preocupe, diz o juiz Marrero. Um monitor designado pelo Departamento de Justiça manterá todos na fila!

O DOJ j√° preparou v√°rios meios para mitigar esse conflito em potencial. Ele nomeou um monitor para garantir que a New T-Mobile n√£o limite a capacidade do DISH de usar a rede New T-Mobile, e estabeleceu uma f√≥rmula que fornece o pre√ßo de atacado ao DISH nunca aumentar√° … Al√©m disso, os rem√©dios do DOJ prev√™em que a New T-Mobile n√£o pode limitar o grau em que o DISH usa sua rede nos primeiros tr√™s anos.

√Č honestamente um pouco fofo e emocionante que o juiz Marrero pense que um advogado do governo possa policiar o qu√£o bem a T-Mobile trata a Dish Network como um cliente MVNO.

Esses acordos garantem que a DISH possa competir com a New T-Mobile e outros operadores do mercado em termos altamente vantajosos após a entrada, e que o contrato MVNO durará muito mais em benefício da DISH do que a New T-Mobile.

Este é o exemplo mais puro do juiz que se apaixona: alguém realmente acha que John Legere fez um acordo que funciona mais para o benefício de Dish do que para o da T-Mobile? Ou que a T-Mobile não funcionará nos limites do acordo para se proteger? Isso é bizarro.

O juiz Marrero tamb√©m parecia impressionado com o plano de desenvolvimento 5G da Dish Network, que ele acha que n√£o requer “grandes quantidades de hardware” porque, hum, Amazon estar√° envolvido.

Os planos de rede inovadores da DISH tamb√©m demonstram que a constru√ß√£o de sua rede m√≥vel sem fio ser√° menos dispendiosa e demorada do que seria normalmente esperado. Embora os n√ļcleos m√≥veis das redes tradicionais exijam grandes quantidades de hardware que s√£o dispendiosas para instalar e manter, o DISH planeja construir uma ‚Äúrede virtualizada‚ÄĚ que depende mais fortemente de software e servi√ßos de hospedagem em nuvem fornecidos por parceiros em potencial, como Amazon.

√Č verdade que a Dish tem grandes planos para uma rede definida por software, que √© um santo graal h√° muito tempo. Mas tamb√©m √© verdade que, literalmente, n√£o h√° fornecedores para essa rede no momento, e a estrat√©gia √© t√£o n√£o comprovada que especialistas em bares da ind√ļstria sem fio est√£o dizendo que o plano de Dish pode realmente custar Mais dinheiro para construir, porque tantas pe√ßas novas e d√≠spares ter√£o que ser integradas. E o presidente da Dish, Charlie Ergen, admitiu categoricamente que essa abordagem pode falhar completamente porque √© muito nova. √Č intrigante o motivo pelo qual o tribunal decidiu simplesmente aceitar o hype como realidade aqui, exceto que o juiz Marrero foi levado pela confian√ßa de Ergen na bancada.

√Č o mesmo com o plano de Dish de usar algo chamado ORAN, um padr√£o aberto que est√° ganhando for√ßa √† medida que a tens√£o em torno da Huawei que fornece equipamentos 5G esquenta. O ORAN foi projetado para permitir que v√°rios fornecedores forne√ßam equipamentos de r√°dio para redes sem fio, e o juiz Marrero acha que isso √© √≥timo:

De maneira semelhante, a DISH planeja operar uma Rede de Acesso R√°dio Aberta (“ORAN”), que se refere a uma RAN que n√£o requer hardware e software propriet√°rio de um fornecedor em toda a rede. Como esse arranjo permitiria √† DISH solicitar ofertas de fornecedores concorrentes para v√°rios aspectos da rede, os custos de constru√ß√£o tamb√©m poderiam diminuir correspondentemente. At√© os fornecedores tradicionais de RAN indicaram ao DISH que poderiam oferecer suporte a um ORAN nos pr√≥ximos dezoito meses.

Mais uma vez, por√©m, o juiz Marrero est√° simplesmente aceitando o hype acriticamente. Os ORANs parecem √≥timos, mas eles s√≥ existem no est√°gio “formamos um comit√™ do setor” at√© agora. De fato, todo o plano da ORAN √© t√£o nebuloso que o procurador-geral William Barr prop√īs que o governo dos EUA participasse do controle da Nokia e / ou da Ericsson para controlar um fornecedor tradicional da RAN. Por qu√™? Porque Barr acha que o ORAN √© est√ļpido:

“Isso √© apenas torta no c√©u”, disse ele. “Essa abordagem √© completamente n√£o testada e levaria muitos anos para decolar, e n√£o estaria pronta para o hor√°rio nobre por uma d√©cada, se √© que alguma vez”.

Adoro um padrão aberto e espero que o ORAN funcione, mas acho que é um grande erro o juiz Marrero simplesmente assumir que tudo vai dar certo. E o que é mais problemático é que o juiz simplesmente desconsiderou todas as evidências e argumentos de que Dish não vai se dar ao trabalho de criar uma rede.

Durante o julgamento, os Estados demandantes lan√ßaram d√ļvidas sobre a inten√ß√£o do DISH de competir seriamente no [wireless] Comercialize ou cumpra de boa f√© seus compromissos com o DOJ e a FCC. Eles citaram v√°rias declara√ß√Ķes feitas ao longo do tempo por executivos da R√©us pelo ponto amplo de que construir uma rede m√≥vel sem fio seria um dos muitos “blefes est√ļpidos” de Ergen, e que ele apenas construiria uma “rede fina sem sentido para n√£o fazer isso”. ter problemas com a FCC. “

Combinar essas declara√ß√Ķes sobre o comportamento e o hist√≥rico do DISH com o fato de que o desenvolvimento de uma rede m√≥vel sem fio √© geralmente um esfor√ßo de tempo e capital, Os autores da den√ļncia sugeriram que a rede da DISH seria, nas palavras de um funcion√°rio da DT, “algo que os advogados podem usar, mas n√£o algo que os clientes possam usar”.

O Tribunal n√£o est√° convencido de que essa evid√™ncia tenha o peso que os Estados demandantes atribuem a ela. Pelo contr√°rio, o DOJ e a FCC apoiaram fortemente a entrada do DISH no mercado, apesar de estarem cientes dessas preocupa√ß√Ķes.

Mais uma vez, parece que o juiz Marrero estava mais convencido pelo carisma de Charlie Ergen do que qualquer outra coisa – um padr√£o que veremos repetido na decis√£o quando se trata da T-Mobile.

Ao contr√°rio da Sprint, a DISH est√° adquirindo espectro em leil√£o, contratando funcion√°rios e investindo significativamente em sua rede. E, embora a Sprint provavelmente diminua de um concorrente nacional para um regional, o DISH √© obrigado a expandir de um concorrente regional para um nacional. Como o presidente da DISH afirmou apropriadamente no julgamento, “a Sprint n√£o quer estar no neg√≥cio. N√≥s fazemos.”

T-MOBILE √Č O MELHOR, E JOHN LEGERE √Č UM SONHO

Isso nos leva √† avalia√ß√£o do juiz Marrero da T-Mobile, que √© onde as coisas realmente entram no reino dos √≥leos essenciais e das pir√Ęmides de energia cristalina. O juiz Marrero acha que a T-Mobile √© √≥timo. T√£o grande que at√© mesmo confrontado com e-mails e mensagens de texto dos executivos da T-Mobile, Sprint e Deutsche Telekom discutindo a ideia de aumentar os pre√ßos ap√≥s uma fus√£o, ele a ignora porque simplesmente n√£o quer acreditar.

As principais evid√™ncias que os Estados demandantes citam para o potencial de coordena√ß√£o s√£o:declara√ß√Ķes dos executivos da DT, sugerindo que eles apoiavam um ‚Äú4-para-3‚ÄĚFus√£o de MNOs nos Estados Unidos porque acreditavam que um mercado consolidado seria mais lucrativo.

Os Estados demandantes tamb√©m citam algumas evid√™ncias documentais da Sprint sugerindo esse potencial; por exemplo, o diretor de marketing da Sprint, Roger Sole-Rafols, sugeriu a Claure que a fus√£o proposta poderia “acabar acomodando mais US $5 ARPU em um cen√°rio para tr√™s jogadores [including AT&T and Verizon]‚ÄĚE que isso demonstrou‚Äú o benef√≠cio de um mercado consolidado ‚ÄĚ. Os Estados demandantes citam adicionalmente v√°rias comunica√ß√Ķes T-Mobile e Sprint pela proposi√ß√£o de que a sinaliza√ß√£o anticompetitiva de pre√ßos j√° est√° ocorrendo no [wireless] Mercado.

Não, isso não pode ser verdade, diz o juiz. Por quê? Porque a T-Mobile é tão ousada e legal!

A T-Mobile construiu sua identidade e estrat√©gia de neg√≥cios insultando, antagonizando e desafiando a AT&T e a Verizon oferecer pacotes pr√≥-consumidor e pre√ßos mais baixos, e o Tribunal considera altamente improv√°vel que a New T-Mobile simplesmente fique satisfeita com seu aumento de participa√ß√£o de mercado ap√≥s o intenso escrut√≠nio regulat√≥rio e p√ļblico dessa transa√ß√£o. Como Legere e outros executivos da T-Mobile observaram no julgamento, faz√™-lo repudiaria essencialmente toda a imagem p√ļblica da T-Mobile.

As evidências indicaram que a mesma equipe executiva que obteve o sucesso da T-Mobile continuará a liderar a New T-Mobile, e a fusão fornecerá à T-Mobile a capacidade aumentada que lhe permitiu seguir a estratégia da Não Operadora. . Tendo ouvido os réus enfatizarem a vantagem de capacidade assimétrica que a New T-Mobile teria sobre a AT&T e a Verizon, o Tribunal conclui que a New T-Mobile provavelmente usaria essa vantagem cortando preços para obter participação de mercado de seus maiores concorrentes.

Isso é realmente notável. O juiz decidiu que a T-Mobile continuará agressiva e manterá os preços baixos para conquistar participação de mercado, apesar de seus próprios executivos terem discutido a fusão em termos de aumento de preços. E tudo isso porque o juiz assistiu Legere e os outros executivos da T-Mobile e decidiu que os amava. A sério! Aqui está o juiz Marrero falando sobre como ele avaliou Legere no estande para ver se ele faria coisas anticoncorrenciais:

Durante o julgamento, o Tribunal ouviu e leu testemunhos de v√°rios executivos de v√°rias empresas de telecomunica√ß√Ķes. O Tribunal concentrou a aten√ß√£o nessas evid√™ncias e avaliou a credibilidade das testemunhas. A partir dessa avalia√ß√£o, o Tribunal selecionou v√°rios padr√Ķes reveladores de conduta que os gerentes de neg√≥cios manifestam que poderiam servir como preditores persuasivos sobre a probabilidade de as empresas comerciais se envolverem ou n√£o em a√ß√Ķes anticoncorrenciais, potencialmente produzindo pre√ßos mais altos ou qualidade inferior sob condi√ß√Ķes espec√≠ficas de mercado.

Especificamente, a lista das pistas comportamentais que o Tribunal recolheu e examinou inclui: manifestou ambi√ß√£o pessoal e comercial e agressividade por executivos da empresa em busca de objetivos de neg√≥cios; preocupa√ß√Ķes com a reputa√ß√£o do indiv√≠duo e da empresa no setor; capacidade de resposta √† press√£o profissional e corporativa dos colegas; for√ßa de car√°ter exercida sobre as pol√≠ticas e opera√ß√Ķes da empresa; n√≠vel de comprometimento com os objetivos de neg√≥cios e desenvoltura e criatividade para garantir e gerenciar os meios para realiz√°-los; impulso de prevalecer em ambientes competitivos e de exercer for√ßa de vontade direcionada para esse fim; motiva√ß√£o para atingir metas de marketing que superam os concorrentes; incentivo a se esfor√ßar mais, impulsionado pela perspectiva de promo√ß√£o e aumento da posi√ß√£o dentro de uma corpora√ß√£o ou ind√ļstria; recorrer a formas disruptivas ou contr√°rias de obter fins competitivos e sucesso demonstr√°vel ao faz√™-lo; e padr√Ķes de conduta passada, dura√ß√£o e consist√™ncia da identifica√ß√£o e ades√£o abertamente conhecidas a uma cultura profissional ou de neg√≥cios reconhecida.

Depois de observar as apresenta√ß√Ķes dos executivos da T-Mobile no julgamento, observou seu comportamento, avaliou sua credibilidade e avaliou seu testemunho em sua totalidade, √† luz das diretrizes comportamentais que o Tribunal articulou acima, o Tribunal conclui que o retrato da prov√°vel postura competitiva p√≥s-fus√£o da New T-Mobile adotaria o cr√©dito de warrants como cr√≠vel e consistente com as realidades da concorr√™ncia no mercado. [wireless] mercado.

Eu sei muito, mas no final, o juiz fez uma lista de coisas que um CEO legal faria e decidiu que John Legere faria essas coisas. E ele realmente, realmente acredita nisso Рa ponto de escrever o que é basicamente a cópia de marketing da T-Mobile para o negócio em sua decisão.

O que o Tribunal observou em julgamento nos depoimentos e evidências documentais apresentados com credibilidade pelos executivos da T-Mobile revelou uma imagem diferente: uma empresa reforçada com uma infusão maciça de espectro, capacidade, capital e outros recursos, e mastigando para conquistar seu novo mercado pares e rivais na competição frontal.

E qual a ideia de que a T-Mobile aumentar√° os pre√ßos quando n√£o tiver um concorrente nacional de menor custo na Sprint? Bem, o juiz Marrero simplesmente n√£o v√™ isso porque, bem, ele acha que os executivos de telecomunica√ß√Ķes s√£o s√£os, tomadores de decis√£o racionais.

Como o Tribunal discutiu acima, tendo como pano de fundo a estrat√©gia comercial de longa data da T-Mobile como aut√īnoma independente e perturbadora Un-carrier, seria contraproducente e at√© autodestrutivo para a New T-Mobile logo ap√≥s a fus√£o com a T-Mobile. falhar em investir, inovar e melhorar a velocidade, capacidade e qualidade da rede, ou se abster de oferecer produtos que incorporem as tecnologias mais avan√ßadas, conte√ļdo aprimorado e planos de servi√ßo aprimorados e, finalmente, pre√ßos mais baixos, conforme o dinamismo do mercado exigiria e com mais confiabilidade prever. Ao iniciar o curso polar que os Estados demandantes prev√™em, a New T-Mobile efetivamente arriscaria seu pr√≥prio futuro.

O Tribunal n√£o pode aceitar a premissa de que, nas circunst√Ęncias competitivas apresentadas aqui, os executivos respons√°veis ‚Äč‚Äčdas principais empresas de capital aberto provavelmente agir√£o irracionalmente na dire√ß√£o dos neg√≥cios da empresa que administram.

Um lembrete de que o ex-CEO da Sprint agora est√° encarregado da WeWork.

A carta de amor de Marrero para a T-Mobile continua:

A T Mobile se redefiniu na √ļltima d√©cada como um dissidente que estimulou os dois maiores players do setor a fazer in√ļmeras mudan√ßas pr√≥-consumidor. A Incorpora√ß√£o Proposta permitiria √† empresa incorporada continuar a estrat√©gia de neg√≥cios inegavelmente bem-sucedida da T-Mobile no futuro pr√≥ximo.

Se você se lembra, Marrero iniciou toda essa decisão com um monte de poesia emo sobre como o futuro é incognoscível e o testemunho de especialistas concorrentes se anula. Ele está terminando dizendo que examinou as almas dos executivos da T-Mobile e acredita nelas. E talvez ele esteja certo! Mas também é verdade que os juízes federais geralmente não admitem que vão com as crianças legais porque são muito legais.

(Curiosidade: Marrero usa a palavra “independente” 16 vezes em sua decis√£o.)

Esse é o cerne da decisão, mas quero terminar com algo que considero importante: o juiz Marrero falando sobre por que ele acha que o setor de banda larga sem fio é tão diferente de outros mercados. Ele começa comparando com, hum, leite:

Para comprar um recipiente de leite, o consumidor de varejo n√£o precisa comprar uma vaca e, portanto, tamb√©m paga pelo valor total e pelo conte√ļdo da carne bovina.

Os servi√ßos m√≥veis de varejo de telecomunica√ß√Ķes sem fio, por outro lado, ilustram um mercado complexo protot√≠pico. Conforme fornecido e adquirido pelos consumidores, o servi√ßo sem fio n√£o fica sozinho, mas √© conectado integralmente a v√°rios bens e servi√ßos fornecidos por outras ind√ļstrias inter-relacionadas. Especificamente, o produto √© inextricavelmente ligado aos dispositivos de hardware eletr√īnico fornecidos pelas ind√ļstrias de telefonia celular e de computador que os consumidores usam para comunica√ß√£o de voz e n√£o voz, al√©m de imagens, mensagens, transmiss√£o e armazenamento de dados e acesso √† Internet. Al√©m disso, o hardware celular transporta o material operacional criado pelos fornecedores de conte√ļdo de software, como programa√ß√£o de v√≠deo e √°udio e dados acessados ‚Äč‚Äčpor telefones e dispositivos similares.

Simplificando, essa é uma treta profunda que os provedores de banda larga quer você acredita mas é absolutamente não é verdade.

Os consumidores n√£o gostam de bloatware de operadora. A T-Mobile n√£o inventou as c√Ęmeras iPhone ou Pixel. A Verizon n√£o inventou Instagram. Inferno, n√£o h√° bandeira vermelha maior em tecnologia do que “as operadoras criaram software”.

Os principais fornecedores de aparelhos como Apple e a Samsung est√° feliz em vender telefones desbloqueados que funcionam em redes, e a maioria dos maiores sucessos em software para celular j√° aconteceu apesar de interfer√™ncia de transportadoras. Eles nem s√£o bons em coisas que devemos Seja bom: faz uma d√©cada que o WhatsApp e o iMessage revolucionaram as mensagens telef√īnicas e as operadoras ainda n√£o apresentou uma atualiza√ß√£o confi√°vel para o SMS. Essas empresas s√£o Terr√≠vel em outra coisa que n√£o prestar servi√ßo e sair do caminho. √Č estranho que isso n√£o seja √≥bvio para todos neste momento.

Toda a porcaria que os dispositivos m√≥veis vincularam √†s suas redes e planos de pre√ßos desde que a neutralidade da rede foi abolida criou apenas uma confus√£o que distrai uma verdade simples: o acesso √† Internet √© uma mercadoria e deve ser provisionado e precificado como um. √Č, de fato, exatamente como o leite.

Vamos torcer para que os tribunais descubram isso algum dia.