Notícias de dispositivos móveis, gadgets, aplicativos Android

Segurança de aplicativos da Web: um guia 2023

A segurança de aplicativos da Web refere-se às medidas tomadas para proteger os aplicativos da Web contra ataques potenciais. Envolve estratégias e processos para aplicações web seguras contra ameaças externas que possam comprometer sua funcionalidade, segurança e integridade de dados.

Uma estratégia eficaz de segurança de aplicações web envolve a identificação de possíveis vulnerabilidades, a avaliação dos riscos associados e a implementação de medidas para prevenir ataques.

Muitas empresas dependem fortemente de aplicativos da web para suas operações. Uma violação de segurança pode levar a perdas financeiras significativas, danos à reputação da empresa e possíveis repercussões legais. Portanto, as organizações devem garantir que suas aplicações web sejam seguras.

Vulnerabilidades comuns em aplicativos da Web

Apesar dos melhores esforços dos desenvolvedores e especialistas em segurança, nenhuma aplicação web está totalmente imune aos riscos de segurança. Várias vulnerabilidades comuns frequentemente exploradas por invasores incluem SQL Injection, Cross-Site Scripting (XSS), Cross-Site Request Forgery (CSRF), Referências de objetos diretos inseguros (IDOR) e Configurações incorretas de segurança.

Injeção SQL

SQL Injection é uma vulnerabilidade de segurança da web que permite que um invasor interfira nas consultas de banco de dados de um aplicativo. Geralmente ocorre quando um desenvolvedor usa entrada de usuário não validada ou não codificada em uma consulta de banco de dados.

Um invasor pode manipular a consulta SQL para visualizar informações confidenciais, modificar o banco de dados ou até mesmo executar operações administrativas no banco de dados.

Scripting entre sites (XSS)

Cross-Site Scripting (XSS) ocorre quando um invasor injeta scripts maliciosos em páginas da web visualizadas por outros usuários.

O invasor usa esses scripts para roubar informações confidenciais, como cookies de sessão, permitindo que eles se façam passar pela vítima e executem ações em seu nome.

As consequências de um ataque XSS bem-sucedido variam de pequenos incômodos a violações de segurança significativas.

Falsificação de solicitação entre sites (CSRF)

Cross-Site Request Forgery (CSRF) é um ataque que engana a vítima para que envie uma solicitação maliciosa. Isso é conseguido incluindo um link ou script em uma página da web que acessa um site no qual o usuário está autenticado.

Um ataque CSRF bem-sucedido pode levar a alterações não autorizadas em dados, como endereço de e-mail, senha e muito mais.

Referências diretas a objetos inseguros (IDOR)

Referências diretas de objetos inseguras (IDOR) ocorrem quando um desenvolvedor expõe uma referência a um objeto de implementação interno, como um arquivo, diretório ou chave de banco de dados. Os advogados podem manipular essas referências para acessar dados não autorizados sem verificação de controle de acesso ou outra proteção.

Configurações incorretas de segurança

As configurações incorretas de segurança são o problema mais comumente visto. Isso normalmente acontece quando um aplicativo ou sua plataforma é configurado de forma insegura. Um invasor pode explorar essas configurações incorretas para acessar informações ou funcionalidades não autorizadas.

Nós recomendamos:  Tendências positivas e desconcertantes em marketing móvel #incitesummit

O papel das estruturas e padrões de segurança

Estruturas e padrões de segurança são fundamentais para garantir a segurança das aplicações web. Ao fornecer uma abordagem sistemática para a gestão de riscos de segurança, estas diretrizes servem como roteiros para organizações que pretendem fortalecer a sua postura de segurança cibernética.

A adesão a essas estruturas e padrões permite que as organizações resolvam vários problemas de segurança e garantam a confidencialidade, integridade e disponibilidade de suas aplicações web.

OWASP (Projeto de Segurança de Aplicativos Web Abertos)

OWASP é uma comunidade aberta que permite às organizações desenvolver, comprar e manter aplicações e APIs que possam resistir a ameaças à segurança.

Um de seus recursos mais exclusivos é o OWASP Top 10, um documento de conscientização padrão para desenvolvedores e segurança de aplicações web.

Representa um amplo consenso sobre os riscos de segurança mais críticos das aplicações web. Usando o OWASP Top 10 como guia, os desenvolvedores podem priorizar medidas de segurança, focar nas ameaças mais significativas e melhorar significativamente a segurança de suas aplicações web.

ISO/IEC 27001

Este é um padrão reconhecido globalmente para estabelecer, implementar, manter e melhorar continuamente um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI).

Este padrão ajuda as organizações a gerenciar de forma consistente e econômica suas práticas de segurança em um só lugar.

Abrange vários controles de segurança, desde a avaliação de riscos até o controle de acesso e o gerenciamento de incidentes.

Conformidade com ISO/IEC 27001 demonstra que uma organização está comprometida em seguir as melhores práticas de segurança da informação.

PCI DSS (padrão de segurança de dados da indústria de cartões de pagamento)

Se o seu aplicativo da web envolve processamento, armazenamento ou transmissão de dados do titular do cartão, a adesão ao PCI DSS é obrigatória. Este padrão visa proteger as transações com cartão de crédito contra roubo de dados e fraude.

É composto por 12 requisitos, incluindo auditorias regulares de segurança, redes e sistemas seguros, medidas de controle de acesso e muito mais. As organizações podem proteger os dados confidenciais do titular do cartão e conquistar a confiança dos clientes, cumprindo o PCI DSS.

Estrutura de segurança cibernética do NIST

Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST), este quadro voluntário fornece uma política para a gestão dos riscos de cibersegurança.

Inclui padrões, diretrizes e melhores práticas para gerenciar risco de segurança cibernética de forma econômica.

O núcleo da estrutura consiste em cinco funções principais: Identidade, Proteção, Detectar, Responder e Recuperar. A estrutura do NIST é amplamente adotada em vários setores devido à sua flexibilidade e abrangência.

Controles Críticos de Segurança do CIS (CIS CSC)

Desenvolvido pelo Centro de segurança na Internet, o CIS CSC é um conjunto de 20 ações projetadas para fornecer um roteiro para as organizações melhorarem sua postura de segurança cibernética. Esses controles são uma série de ações de segurança bem avaliadas e apoiadas que, quando implementadas, podem prevenir os ataques cibernéticos mais difundidos e perigosos.

Nós recomendamos:  Como o desenvolvimento de aplicativos móveis ajuda sua marca?

Melhores práticas para segurança de aplicativos da Web

As práticas recomendadas a seguir podem ajudá-lo a proteger aplicativos Web e reduzir os riscos comerciais.

Práticas de codificação segura

A codificação segura é a prática de escrever código para sistemas, aplicativos e software de uma forma que proteja contra vulnerabilidades de segurança. Envolve uma série de princípios concebidos para eliminar categorias de bugs que podem levar a vulnerabilidades do sistema.

A codificação segura ajuda a proteger um sistema contra ameaças potenciais, identificando e eliminando bugs ou falhas de software que os cibercriminosos poderiam explorar.

As práticas de codificação segura tornaram-se mais cruciais no cenário tecnológico atual. A segurança costuma ser comprometida à medida que os desenvolvedores são pressionados a fornecer software rápido e eficiente.

No entanto, os desenvolvedores devem compreender que as práticas de codificação segura podem melhorar a segurança, a qualidade e a capacidade de manutenção do seu código.

Pode reduzir significativamente o tempo e o custo associados à correção de bugs e vulnerabilidades nos estágios posteriores do ciclo de vida de desenvolvimento de software.

Validação e higienização de entrada do usuário

A validação e a higienização da entrada do usuário são aspectos críticos da segurança de aplicações web. Eles verificam e limpam a entrada do usuário para evitar vulnerabilidades de segurança, como injeção de SQL, scripts entre sites e execução remota de código.

Técnicas aprimoradas de validação e higienização de entrada do usuário incluem o uso de listas de permissão em vez de listas de negação, APIs seguras e codificação de saída sensível ao contexto. Essas técnicas podem ajudar a prevenir vulnerabilidades comuns de segurança em aplicativos da Web e proteger o aplicativo contra possíveis ataques.

Testes de segurança automatizados

A automação desempenha um papel crucial nos testes de segurança, automatizando tarefas repetitivas, reduzindo erros humanos e acelerando o processo de teste.

Ferramentas automatizadas de teste de segurança podem verificar vulnerabilidades conhecidas, executar casos de teste e gerar relatórios, liberando as equipes de segurança para se concentrarem em tarefas mais complexas.

A automação também pode ajudar as empresas a acompanhar o ritmo acelerado de desenvolvimento e implantação de software. À medida que o novo código é comprometido, as ferramentas automatizadas podem testar rapidamente as vulnerabilidades, garantindo que a segurança seja integrada durante todo o ciclo de vida de desenvolvimento do software.

Isto é particularmente importante num ambiente Agile ou DevOps, onde a velocidade e a eficiência são críticas.

Aplicação de patches e atualização de software

Em um ambiente DevOps, a integração e implantação contínuas são as normas. Isso significa que o código é atualizado e implantado com frequência, o que pode criar possíveis vulnerabilidades de segurança.

Nós recomendamos:  10 hacks de segurança de servidor para proteger seus servidores web

Portanto, correções e atualizações regulares são cruciais para manter a segurança do aplicativo.

A aplicação de patches envolve a atualização do software para corrigir vulnerabilidades de segurança. O gerenciamento regular de patches garante que o aplicativo esteja protegido contra ameaças conhecidas. Também é essencial manter todos os componentes de software, incluindo bibliotecas e estruturas de terceiros, atualizados.

Criptografia de dados e transmissão segura de dados

A criptografia de dados é o processo de conversão de dados em um formato ilegível para usuários não autorizados. É essencial para a segurança de aplicações web, pois protege dados confidenciais do acesso de cibercriminosos.

A transmissão segura de dados com HTTPS também é crítica para a segurança de aplicações web. HTTPS, ou Hypertext Transfer Protocol Secure, é um protocolo de comunicação da Internet que protege a integridade e a confidencialidade dos dados entre o computador do usuário e o site.

Ele garante que os dados transmitidos entre o usuário e a aplicação web sejam criptografados e seguros.

Conclusão

Concluindo, compreender e implementar as melhores práticas de segurança de aplicações web é fundamental para as empresas na era digital de hoje.

Práticas de codificação seguras, automação em testes de segurança, IA em WAFs, patches e atualizações regulares, validação e higienização de entrada aprimoradas, criptografia de dados e transmissão segura com HTTPS são aspectos críticos da segurança de aplicativos da web que as empresas devem priorizar.

Lembre-se de que a segurança do seu aplicativo da web não se trata apenas de proteger o seu negócio; trata-se também de salvaguardar a confiança e a lealdade dos seus clientes.